photo_81668Mercado farmacêutico do Cazaquistão vai crescer 15 por cento em 2013, devido ao aumento das despesas públicas, da atractividade do mercado para os investidores estrangeiros depois da sua entrada na União Aduaneira e da redução das barreiras administrativas, relata o portal Tengrinews.kz. Esta é a opinião de Vyacheslav Lokshin, presidente da Associação dos fabricantes estrangeiros de produtos farmacêuticos. Segundo ele, o mercado farmacêutico total no Cazaquistão chegou a US $1,2 bilhões, e um aumento nas vendas tem sido observado por vários anos.

“Cazaquistão tem investido activamente no desenvolvimento dos cuidados de saúde. Hoje o número é de quase 4 por cento do PIB, e vai aumentar ainda mais. Vão aparecer novas clínicas, novos programas, etc.”, – disse Lokshin.

As empresas do Cazaquistão pretendem ocupar 50 por cento do mercado doméstico até 2014. Entre os medicamentos fabricados estarão anti-histamínicos, vitaminas, oncológicos e antidiabéticos.

Nos últimos anos tem havido um aumento significativo do investimento estrangeiro. De acordo com Lokshin, empresas farmacêuticas estrangeiras investiram no Cazaquistão pelo menos US $100 milhões ao longo de dois anos. Ele lembrou que, durante este tempo, os investidores compraram uma número significativo de instalações no Cazaquistão e estão a trabalhar para aumentar a sua capacidade e modernizar equipamentos. $100 milhões adicionais são anualmente gastos por empresas estrangeiras para organização de conferências, publicações médicas e projetos sociais.

De acordo com especialistas, a adesão do Cazaquistão à OMC não afetará a indústria farmacêutica do país. “Nós temos uma boa situação no Cazaquistão. Não temos IVA, nem taxas aduaneiras sobre medicamentos, por isso, os custos não são muito grandes. Não deverá haver grandes flutuações de preço”, – considera Lokshin.