300px-Christ_the_Savior_Cathedral_Moscow

O tecido étnico muito complexo do Império Russo tinha implicações inevitáveis para a sua diversidade religiosa. Além de Cristãos Ortodoxos (90% de todos os crentes), a Rússia tem outros credos há muitos anos: Islão (maioritariamente Sunitas), Judaismo, Budismo Tibetano (praticado na Rússia por habitantes religiosos das Repúblicas de Buriácia, Tuva e Calmúquia), Catolisismo, várias denominações Protestantes (Luteranos, Baptistas, Mennonitas, Pentecostais, Adventistas do Sétimo Dia), bem como a Igreja da Arménia e vários grupos dissidentes da Ortodoxia tradicional (os crentes dos velhos ritos e os auto-denominados seguidores da Igreja Ortodoxa Verdadeira) ou os que divergem bastante da linha seguida pela Igreja Ortodoxa Russa, como os Dukhobors e Molokans.

A Rússia abraçou o Cristianismo em 988-989 D.C., a mesma altura em que o Cristianismo foi adoptado pela Hungria, Polónia, Suécia, Noruega e Dinamarca. A princesa Olga de Kiev foi a primeira governante da Rússia Kievana a se converter ao cristianismo em meados do século X. O neto de Olga, Vladimir o Grande, fez da Rússia Kievana  um estado cristão.

A Igreja Ortodoxa Russa é uma das maiores Igrejas Ortodoxas no mundo. O número de adeptos em todo o mundo atinge mais de 150 milhões. Entre as igrejas cristãs, a Igreja Ortodoxa Russa é apenas a segunda após a Igreja Católica Romana em termos de números de seguidores.

As diferenças entre a Igreja Ortodoxa Russa e a Igreja Católica Romana mais notáveis:

1. O Papa 

Uma diferença entre os ortodoxos orientais e os católicos romanos tem a ver com o reconhecimento do Papa. Os católicos romanos reconhecem o Papa como infalível em matéria de doutrina. O Papa tem autoridade suprema sobre todas as igrejas e pode contradizer o poder de um padre, bispo ou cardeal.  O mais alto nível de autoridade na Igreja Ortodoxa Russa é o Conselho Local, que compreende todos os bispos. Outro órgão do poder é o Conselho Episcopal. Os mais altos poderes administrativos são exercidos pelo Santo Sínodo da Igreja Ortodoxa Russa, que inclui sete membros permanentes e é presidida pelo Patriarca de Moscovo e de Toda a Rússia. Embora o Patriarca de Moscovo tem amplos poderes, ao contrário do Papa, ele não tem autoridade direta sobre assuntos relacionados com a fé.

2. Língua de Serviços da Igreja

Outra diferença entre as Igrejas é que os serviços católicos romanos realizam-se principalmente em latim, em vez das línguas predominantes das áreas onde os serviços são realizados. A Igreja Ortodoxa Oriental realiza os serviços em línguas nativas desde o início. A principal língua litúrgica da Igreja Ortodoxa Russa é a língua eslava da igreja.

3. Pecado Original

As Igrejas divergem na forma como o pecado original se aplica a Maria, mãe de Jesus. Os católicos acreditam que Maria foi purificada do pecado original e, por isso, era uma mãe adequada para o Filho de Deus. A Igreja Ortodoxa ensina que Maria foi escolhida para ser a mãe de Jesus por causa da sua vida virtuosa.

4. Mais algumas diferenças minores: 

  • A Igreja Ortodoxa Russa tem os ícones e a Igreja Católica têm estátuas.
  • Os padres católicos não podem casar, mas os sacerdotes ortodoxos podem ser casados antes da ordenação.
  • A Igreja Ortodoxa não acredita no purgatório e não observa as Estações da Via Sacra.
  • A Páscoa e o Natal são calculados de forma diferente pelas duas Igrejas: o Natal da Irgeja Ortodoxa Russa é no dia 7 de Janeiro,  a Páscoa ortodoxa em 2013 é no dia 5 de Maio, 5 semanas depois da Páscoa católica. Em 2014, a Páscoa ortodoxa e católica coincidem, e são ambas no dia 20 de Abril.